terça-feira, 8 de junho de 2010

Uma questão de perspectiva - 80

Há muito tempo atrás tive uma briga muito séria com mamãe.
Ela vivia stressada com as coisas que tinha que fazer, com as contas que tinha que pagar, com os controles que ela tinha que acompanhar no banco, blá, blá, blá...
Um dia, meio sem paciência, eu explodi e pedi que ela listasse este ror de coisa que eu ia acabar com este drama logo de uma vez e resolveria tudo pela internet.
Meio magoada, mamãe virou pra mim e falou:
-  Muito bonito!  E aí eu faço o quê, o resto do dia?

Lembrei desta história pra contar a você o caso do seu Chiquinho.

Na verdade o nome é seu Francisco mas num acesso de doçura a gente se refere a ele, escondido, como seu Chiquinho.  Seu Francisco tem 92 anos.  Há coisa de duas semanas ele apareceu na hemo.  Sei pouco a respeito dele.  Só que é todo bonitinho e distribui sorriso pra todo mundo quando chega.

Outro dia aconteceu um problema com ele.  Pode ser que isto seja uma coisa comum no começo do processo da hemodiálise.  Aconteceu comigo também.  Na história da Isadora eu falo sobre minhas dores de cabeça.

Mas aí, numa das primeiras vezes, a veia do seu Francisco teimou em não querer se mostrar.  Fugia da agulha feito o diabo da cruz.  Chegou a dar um hematomazinho.  Cuidadosa com a idade, Claudinha, nossa personal nurse, preferiu mandar ele pra casa.  E ligou pra família buscá-lo antes da hora prevista para o término da sessão.

Pra que...

Seu Chiquinho rodou a baiana.  Ligou do celular pra casa, que não era pra ninguém buscar ele antes da hora, falava com Claudinha que não queria ir mais cedo, que queria terminar a sessão, que nem que a vaca tossisse ele voltava mais cedo.  Um deusnosacuda...

Fala sério!?  E você aí, achando que eu sofro na hemo... 
Na verdade, nós todos ficamos é meio sem referência neste porto novo que estamos atracando.

Pelo menos pra mim e pro seu Chiquinho, é mais festa que choradeira.

10 comentários:

vivi disse...

seu chiquinho deve ser bunitinhu!!!!

imagino a bagunça q deve ser essa hemo!!!

bjosaudosos!!

to quase chegandoo!!!!

PC disse...

Anda logo, Vivi.
Chega igual the Flash!

ps: primeira de novo!!!

Adriana disse...

Imagina um senhor de 92 anos rodando a baiana?!?!?!?!? Muito bom...

Achei esse post com um lado meio Poliana, mas não é bem assim não. Ele ajuda a gente a lembrar que cada coisa tem sua importância e seu peso pra cada um e a gente tem que fazer um esforcinho pra perceber isso.
Então, aquele é o momento do seu Chiquinho. Tratem de fazer dele um momento divertido e agradável pra ele com muitos bingos e muitos casos interessantes...

Beijos

PC disse...

Ele me fez pensar no respeito à perspectiva do outro, Adriana.
Nos dois casos, da mamãe e do seu Chiquinho.
Aliás, nos três. No meu também.

Renata Feldman disse...

Adorei! Dentro de cada um é que mora a verdade, o desejo, a real necessidade!... Só quem vive pra saber!...
Beijos

Digo disse...

Eu sei do que você precisa, Paulo César.

PC disse...

Também acho, Renata.
Esta história que "estou fazendo isto pensando em você" não dá certo mesmo.
Sou mais cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é...

PC disse...

Não, Digo. Você não sabe.
Ando sentindo um aperto aqui, ó, que eu preciso muito que você venha aqui, se apoiar em mim...
uashuashuashuashuashuashuashuashuas
(já estou aprendendo a rir igual ao Bernardo)

Gera disse...

A mulher do seu chiquinho deve ser uma mala... fala sério!

PC disse...

Chiquinho é bem casado e feliz.
Igual você, apesar de ser feio e chato.
É que nós fazemos aquilo lá virar uma festa.

Aliás, pensando bem, mala é você.
Insensível!!!