sábado, 29 de maio de 2010

Pós Adolescência - 77



Deixa eu contar pra você direito como foi a história. 

A gente estava indo levar Gêisa no consultório.  Saímos de casa meio na correria - coisa típica da Gêisa.  Ciça, traíra, já estava aboletada do lado dela, só rindo da minha correria.  Tinha que ser agora, porque meu compromisso é agora, não posso esperar, e se você quiser, me encontra na garagem AGORA... 
Enfim, a ladainha de sempre.

Lá fui eu, com a tromba do tamanho da pressa dela.  Entrei no carro emburrado e fui o trajeto todo sem abrir a boca.  As duas puxando assunto e eu rosnando, sem a menor vontade de render assunto - coisa típica minha que, soberbo, fico achando que ficar sem conversar comigo é o castigo mais duro que eu posso dar a uma pessoa.

No meio do caminho, o telefone toca.  Era Flavinha, que havia disparado mensagem pra família toda, avisando do nascimento do Henrique.  Tadinha.  Deve ter gasto o salário de uns dois meses, pra avisar todo mundo.  Familinha grande, esta nossa...

Nisto, a gente já estava na Francisco Sales com Brasil, com o sinal fechado.  Todo seguro de si, falei, absoluto:
-  Vou descer aqui.  O filho da Duda nasceu.
Ciça queria vir em casa, pra pegar o presente que já estava adrede preparado.  E Gêisa, sobretudo, não queria me deixar descer ali, no meio dos carros.

Não quis nem saber.  Deixei as duas gritando no carro, não faz isto, não faz isto, e desci pra ver a Duda.  Quer dizer, o Henrique.  Sai do carro feito macho.  Mas não tinha a menor graça, chegar lá sozinho.
Voltei, feito uma franga.
-  Decidi preservar o sentimento de família.

Ciça, no estado da arte da crueldade, falou:
-  Desistiu de adolescer, pai?

Na hora, preferi ficar calado, pensando numa resposta à altura.

Estou calado até agora...

8 comentários:

Fernando Almeida disse...

O melhor desse blog é que fico sabendo das notícias novas e das histórias velha dessa família. Ô pessoas divertidas!

Adriana disse...

Imaginei toda a cena...
Adolesceu, então?
Ah nem....

Beijos

PC disse...

O melhor que está tendo, Nanando, são as histórias que a gente conta tomando cafá na casa da Mamãe.
E todo mundo morrendo de rir.

PC disse...

Pelo que eu pude perceber, você está do lado da Ciça. Está, Adríola?
Já fiquei emburrado.
Pronto.
Falei.

luana disse...

Dizem que inveja mata , acho que e mentira ! Haahahah morrrrrroooo de inveja das tiradas, do humor natural , de voces ! Babo ... Adoroces ! Kkkk

PC disse...

Não acho a menor graça, Luana.
Eu, emburrado, e ela vem com isto?
Fala se tem graça...

Gera disse...

"Fui só flatular lá fora" é uma boa, não acha?

PC disse...

Adorei, Gera.
Ou melhor ainda, saí porque flatulei aqui dentro.